domingo, 5 de agosto de 2012

Joia da Amazonia


Venha conhecer a cidade “Joia da Amazônia”. Nela você vai apreciar o maior rio de água doce do mundo (Rio Amazonas), que passa em frente à cidade, é um dos cartões postais e se destaca por esta situada a orla da capital. Nessa parte da cidade você vai conhecer a Beira Rio, e vai comer um prato que é a especialidade da Casa o “Camarão no Bafo”; vai visitar uma fortificação construída no século VXIII (Fortaleza de São José de Macapá), que foi erigida pelos negros, índios e escravos da colonização portuguesa, e ao lado a Praça do Forte ou Parque do Forte, onde é um logradouro mais visitado de Macapá.  
                                                        Fortaleza de São José de Macapá vista do alto

Vai conhecer o monumento denominado Marco Zero do Equador, o qual sinaliza a latitude 0º, onde as pessoas podem ficar com um pé no hemisfério norte e outro no hemisfério sul. Lá ocorre o equinócio que é um fenômeno que os raios do sol, incidem diretamente sobre a linha do equador isso ocorre no mês de março, equinócio de primavera e em setembro equinócio de Outono.
Monumento do Marco Zero

Vai ter contato com uma população bastante miscigenada, praticamente todos os estados brasileiros estão representados em Macapá. Composição: Brancos 20,3%, negros 4,5%, pardos 74,4%, indígenas 0,8%. População total: 669.526 habitantes.

 Assim, ao desembarcar na cidade e a pessoa que for o anfitrião e fazer um convite a você para ir à residência de um morador de Macapá, não diga não! E se você for - não se surpreenda se for tratado como um dos membros da família, pois esse povo é um povo muito receptivo, caloroso e hospitaleiro.  E no finalzinho da tarde não recuse se chamarem para sentar em frente à casa  para sentir aquela brisa fria e colocar a prosa em dia. Pois, as famílias tradicionais de Macapá ainda cultivam esse hábito de se reunirem para comentar como foi o dia ou até mesmo ficar lembrando acontecimentos que já ficaram para trás.  

Tudo bem! Talvez você não espere nela o mesmo que encontre em Belém ou em outro estado, mas a cidade tem shopping, boas lojas, tem a casa do artesão, Apa do Curiaú, o museu Sacaca.  

                                     
                                                            Lago do Curiaú localizado a 13 km de Macapá

Apa do Curiaú para quem não sabe e um parque ecológico, área de proteção ambiental, nesse lago há uma infinidade de organismos de vida lacustre, tem muitas aves, florestas de várzea e campo inundáveis. O Curiaú fica a 13 km de distância da cidade de Macapá, os moradores do Curiaú se empenham além de preservar a beleza natural da região a memória dos antigos escravos trazidos no século XVIII para construir a Fortaleza de São José. Foram eles os formadores dos pequenos núcleos familiares que originaram a Vila do Curiaú (antigo quilombo), a área é povoada, em sua maioria por negros descendentes de quilombolas.  

Se você vai visitar alguma localidade e quer conhecer a formação do povo que habita a paragem, você precisa se deslocar a um museu, para entender a realidade dos naturais da região, seus hábitos e costumes, assim, na cidade de Macapá lhes apresento o Museu Sacaca, outro ponto que merece o nosso destaque. O Museu Sacaca abriga exposições voltadas para a realidade amazônica, sua importância na formação das etnias indígenas e ribeirinhas. Lá tem o ponto do Regatão onde tem um barco e uma taberna para relembrar e retratar o aspecto de vida dos ribeirinhos amazônidas.


Passarelas para os visitantes no Museu

 




Barco do Regatão

Pois é gente! essa é a cidade que eu moro, a cidade que me acolheu desde 2002, e já se passaram dez anos, puxa como passa rápido, hein! E entre eu e Macapá ocorreu um caso de amor, hoje, eu me considero amapaense – Amapaense de Coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário