sexta-feira, 27 de julho de 2012

A COMPETIÇÃO NO CONCURSO PÚBLICO NO AMAPÁ


Quatro anos - a gente passa quatro anos estudando em uma Universidade, para terminar em um concurso público. Como os tempos estão mudados, há vinte anos, atrás, você saía com o canudo e já entrava para o mercado de trabalho, para exercer a profissão a qual se preparou durante a graduação. Era uma alegria para um pai ou uma mãe ter um filho formado, as pessoas até tinham mais respeito, mas hoje, tudo mudou ninguém se importa se você fala que é um professor, advogado, doutor, tudo é a mesma coisa. O mercado de trabalho anda tão competitivo, que infelizmente, para você conseguir um lugar ao sol (uma aprovação), tem que ralar muito, estudar bastante, não é fácil, é uma verdadeira SELEÇÃO NATURAL, só os melhores sobrevivem. Porém, é bom quando alcança êxito e quando estuda, estuda e estuda e não consegue nem a classificação, é frustrante, se investe dinheiro com o cursinho, com apostilas, gasta recursos com transporte, chega em casa cansado e no dia seguinte se levanta cedo para ir ao trabalho, é, é isso mesmo, a vida de quem quer vencer, não é molhe não. E a concorrência! Às pesquisas mostram que esse foi um dos concursos mais concorridos para a área da Educação, aqui no estado do Amapá, cerca de 24.000 pessoas se inscreveram no concurso da SEED (Secretaria de Educação do Estado do Amapá). É, muita gente veio de outros estados para prestar esse concurso, segundo uma candidata que se deslocou ao estado de barco ela disse que: “quase não conseguia comprar a passagem devido à lotação das embarcações”, até mesmo as passagens aéreas ficaram difíceis de encontrar para quem deixou de adquirir para última hora. A cima pode vislumbrar a Escola Estadual Barão do Rio Branco, local onde foi realizada as provas para professores de História.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário